RIBBON POISON

RIBBON POISON

Search me

Curitiba + Audição

O que dizer sobre minha primeira viagem distante e sozinha? Foi maravilhoso.
Preparem-se para um texto enorme pois são dois assuntos e sou péssima em resumos. Desculpem-me por isto!!

Destino? Curitiba ! E que cidade maravilhosa ... OMG !
Fiquei hospedada na casa de um dos meus melhores amigos virtuais e fui super bem recebida por ele e sua família. Com certeza a minha estadia foi melhor do que seria se eu tivesse ficado em qualquer hotel. Se eu fosse fazer uma pirâmide de amigos em quais mais confio o Kite com certeza estaria junto aos do topo e agora mais ainda.

O motivo da viagem foi minha audição de dança para a empresa coreana Pledis. Well, já era esperado que eu não passasse e eu realmente não passei mas ao menos eu pude ver como as coisas funcionam e com certeza já vou estar preparada para uma próxima.        ~ Well, vamos do início.


Vou pular as complicações que eu tive para ir que é para não deixar a postagem maior do que ficará, mas uma coisa eu não posso deixar de dizer, é que vou ser sempre grata a minha irmã pois se ela não tivesse desistido do presente de natal dela por mim eu provavelmente não teria ido então, Larissa, eternamente muito obrigada. Obrigada também a minha mãe por ter confiado em mim e ao meu pai obrigada por ter cuidado de mim mesmo chateado e desculpas por tê-lo preocupado tanto, viu? :c E obrigada ao Kite e sua família por me receber tão bem e por ter paciência com minhas lerdezas, que não são poucas.


  

Depois da ótima recepção na casa do Kite-kun eu tinha que enfrentar a audição no dia seguinte. A audição foi em uma escola próxima à Praça do Japão. Que lugar lindooo! Na casinha vendem algumas coisinhas e há também um livro de visitas. Tudo muito divo. Mas se quiser uma dica vá com repelente, é sério e-e;

  

Eu marquei de encontrar a Nathalia e o Victor na escola de manhã (os dois kpoppers que conheci no ônibus ♥) eu cheguei mais ou menos 08:40. Estava uma confusão bem grande quanto a lugares e ordem de chegada mas logo uma moça muito fofa resolveu que iria tentar organizar e mesmo que muita gente tenha se aproveitado disso para furar a fila eu achei a iniciativa dela super dez.

   

O pessoal da Pledis e Jukebox atrasaram. Não me lembro o horário que eles marcaram para chegar mas lembro bem que atrasaram. Pouco antes de dar o horário deles chegarem o Victor sugeriu que verificássemos nossos documentos para caso pedissem. Foi quando a super lerda baixou em mim. Eu olhei por todos os bolsos da minha bolsa, menos um, e não achei minha carteira. Eram 9:45, mais ou menos e eu resolvi voltar com meu amigo na casa dele para pegar os documentos. Uma hora de ida, uma hora de volta. Um ponto antes de chegar na casa dele eu percebi que a carteira estava o tempo todo na minha bolsa justo no único bolso que eu não olhei. SIM EU FIZ ISSO! Para não ser um tempo perdido eu resolvi pegar o usb do meu celular para caso meu pendrive resolvesse ser zoeiro comigo. Chegamos de volta aproximadamente às 11:13. A fila já estava dando volta na escola. Eu havia falado com a moça da portaria então quando voltei ela me deixou entrar, porém, eu que seria o número 31 me tornei o número 152. Não é tão mal, sabe? Se a moça não tivesse me deixado entrar eu provavelmente teria sido 200-300.

   

Lá dentro foi meio aterrorizante, sério. O pessoal que dança bem e sabe disso não são nada humildes. Alguns aproveitavam para fazer amizades, se aquecer/alongar e brincar um pouco, ensaiar mais e coisas assim mas alguns mostravam suas habilidades para intimidar os outros. Eu cheguei a ver um asiático metido já chegar dizendo "Vamos dançar pra ver a cara desse povo?". Mas ok, né ... Havia muita gente também que estava atrás dos possíveis idols. Gente que fez questão de criar amizade com pessoas logo depois de ver que os mesmos tinham talento. É... havia de um tudo lá.

Tinha uma menina super fofa lá. Se não me engano estava ensaiando I got a boy das SNSD. Ela estava com uma leg em listrada preto e branco e parecia muito muito nervosa. Acho que estava com a mãe e parecia trêmula também. Toda vez que eu a olhava eu sentia vontade de levantar e ir falar com ela. Desejar sorte ... ela com certeza não fazia parte do grupo dos metidos e via-se o quão ela estava se esforçando sem tentar passar por cima de ninguém sujamente. Fiquei torcendo por ela mas por fim não tive coragem de chegar nela e dizer isso.

  

Estava chegando minha vez e eu me aproximei da porta para não perder a chamada. Enquanto isso fiquei observando uma sala pelo vidro da janela. As carteiras eram semelhantes as de quando eu estudava no ( mais ou menos no jardim I e II) e isso fez passar muitas coisas na minha mente. Quando eu virei vi Pyong Lee passar bem na minha frente e ir em direção ao banheiro. Eu pensei umas dez vezes se iria pedir para tirar foto quando ele voltasse mas deixei quieto, não quis incomodar. Acho que era o número 53-... ? Whatever.

Até um certo número estavam entrando de um em um. Nem todos conseguiam ficar todos os três minutos lá dentro mas podiam mostrar todas as habilidades que quisessem (vocal [canto ou rap], dança, modelo e atuação). Um ou dois grupos antes de chegar minha vez decidiram que entrariam de cinco em cinco e que todos teriam apenas trinta segundos de apresentação e poderiam mostrar apenas uma habilidade.

  

Eu estava um número antes da Narumi Kataiama e dois da amiga dela, acho que Naomi, slá. No início calculamos que ela ficaria no nosso grupo mas por fim eu entrei junto com a irmã da Andressa Damiani, um menino e duas meninas. Todos super fofos. Acho que eu fui a terceira a me apresentar entre eles mas eu fiquei tão nervosa quando soube que eram apenas trinta segundos que ao invés de calcular os minutos da musica na fila eu fiquei brisando. Na minha vez eu pedi para avançar a música mas me perdi e foi quando comecei a me tremer toda. Quando eu pedi desculpas a diretora mandou o próximo ir e eu congelei. Achei que tinha perdido a chance sem nem mesmo ter tentado decentemente. Quando todos terminaram ela me deixou ir de novo mas eu não tinha mais noções do tempo da música e pedi para ela clicar em qualquer minuto e para meu azar a música caiu justo na parte mais lenta da dança onde quase não tem movimento. Então ela agradeceu e pediu para chamar os próximos. Nunca me senti tão derrotada.

Minha música era um remix de Bonamana do Super Junior com Lucifer da SHINee. Eu cortei os minutos de 04:27 até 07:15. Nos trinta segundos eu queria ter mostrado de 5:54 até quando desse mas acabei mostrando uma versão terrível de 4:51 e ela me cortou pouco depois do Minho começar a cantar. Tragic, baby.

  

Mas não foi uma viagem perdida. Mesmo com todos os contratempos eu pude tentar. Tentei do meu jeito atrapalhado mas tentei. Não desisti. Era óbvio que eu não iria passar. Talvez fosse óbvio desde sempre mas ao menos já sei o que fazer caso haja uma próxima audição. Estarei mais preparada, com certeza.

Também tive a oportunidade de conhecer o Kite e a cidade diva dele. Eu não pude exatamente fazer um tour por Curitiba e talvez eu estivesse até mesmo nervosa demais para ser eu mesma mas na próxima vez que eu visitar a cidade, e eu vou com certeza, espero ir com tempo para conhecer a cidade e perturbar o Kite até ele me prender em uma caixa e me mandar de volta para casa por Sedex.

  

As diferenças de lá para o Rio são gritantes. As casas parecem de boneca, há ônibus meio metrô cujo os pontos são em cúpulas fofinhas. Ah, nesses ônibus o cobrador fica na casinha redonda ali, omg! E em ônibus da mesma linha você pode pagar apenas uma passagem caso precise pegar dois seguidos (bem ... é mais ou menos isso) e... ah, quase não há pichações e as ruas são incrivelmente limpas e bem conservadas. Os táxis são laranjas, o sotaque é fofo e engraçado. O pessoal também é super amor ♥

Na ida e volta eu estava em um ônibus da linha Itapemirin. Eu achei super confortável. Na volta até mesmo tive a sorte de poder usufruir de duas poltronas por quase toda a viagem. Depois sentou uma moça cheirando a cerveja do meu lado e eu quase não consegui dormir sem ar MÃÃS logo que ela desceu eu pude me esticar e ser feliz. Na ida também aconteceu algo interessante que eu jamais imaginaria: trânsito às quatro horas da manhã. Deem um desconto, foi minha primeira viagem então sim, eu demorei para entender quando acordei de repente e estávamos parados e várias luzes na nossa frente.

Outra coisa legal na ida foi quando eu, Nathalia e Victor dividimos duas poltronas e ficamos ouvindo kpop, conversando e rindo alto justo quando o pessoal estava começando a se ajeitar para dormir. Sorry pessoas. Mas nem foi tão ruim assim para as pessoas porque eu ainda estava muito tímida e nervosa pela audição então não dei aloka.

Na volta eu e o Victor descemos no Graal enquanto a Nathalia dormia, em uma das paradas que o ônibus fez. Primeiro eu apontei para várias pedras e disse bem alto "Olha como isso é fácil de roubar :v " enquanto estava bem ao lado de uma funcionária e não percebi. Não muito depois ele sem perceber chutou um enfeite e então não sabíamos mais se riamos ou se saíamos correndo.

  

Logo que chegamos cada um tomou o seu caminho e desde então eu não tive mais assuntos com Nathalia e Victor mesmo que tenhamos em comum o gosto por kpop. Só espero que eles não tenham desistido assim como eu não desisti. Fighting ! :3

Nenhum comentário:

Postar um comentário